Tokio Marine reafirma apoio ao desenvolvimento profissional do Corretor de Seguros

A Tokio Marine marcou presença no Workshop “Evolução no Âmbito Profissional de Seguros”, realizado pelo CIST – Clube Internacional de Seguros de Transportes, nesta quinta-feira, dia 23 de agosto, em São Paulo.

Na ocasião, a superintendente de Recursos Humanos da seguradora, Juliana Zan, participou do painel “Planejamento de Carreira”, ao lado do gerente sênior da Robert Half Brasil, Caio Arnaes; e do escritor e palestrante, Carlos Serpeloni.

No evento, a Tokio Marine Seguradora teve a oportunidade de mostrar que prima pela evolução do mercado de seguros e sempre apoia e participa de iniciativas que incentivam a indústria.

Nesse contexto, a executiva da seguradora contribuiu na discussão com sua experiência, respondendo perguntas dos demais participantes e listando os principais desafios que já enfrentou na sua trajetória profissional.

“O CIST é um clube internacional de transportes muito importante e a gente apoia este evento, que traz muito conhecimento, know-how e permite a troca de experiências”, frisou Juliana Zan.

Ela acrescentou que o segmento de transportes é muito importante para a Tokio Marine e que, por essa razão, a companhia apoia iniciativas que permitam ao corretor fazer “cada vez mais negócios”.

Juliana Zan disse ainda que falar de carreira é uma oportunidade para o profissional se “reinventar”, fazer troca e network, estimulando, dessa forma, o seu desenvolvimento profissional.

Já o vice-presidente do CIST, Alfredo Chaia, afirmou que a missão do clube é exatamente a de fomentar o mercado e promover o debate que possa ajudar o desenvolvimento dos profissionais do setor. “Realizamos encontros mensais e um grande congresso anual, que, em 2018, será realizado no dia 23 de novembro. Será um bom ambiente para desenvolver negócios e competências técnicas, além da capacitação profissional”, observou.

Segundo ele, o tema “planejamento de carreiras”, escolhido para ser a “essência” dos debates desta quinta-feira, visou preparar e auxiliar quem pensa na sua trajetória profissional e se prepara para as transformações que o mercado enfrenta e em como planejar o seu futuro, não apenas no aspecto técnico, mas também na capacidade de se transformar e buscar novas soluções.

“É preciso lidar com as novas demandas e com a transformação digital, que atinge, inclusive, a logística no transporte de cargas. É preciso entender as necessidades dos clientes e levar soluções”, acrescentou, em entrevista para o CQCS.

Confira: //youtu.be/-a5L257ez2E

FONTE: CQCS