Incêndio atinge Hospital e seguro ajuda a repor patrimônio rapidamente

Foto: Reprodução/ G1

Nesta quarta-feira (8), um incêndio atingiu o Hospital São Lucas, em Copacabana (RJ) e teria começado por conta de um gerador na rouparia, que fica em um prédio anexo.

De acordo com informações do G1 Rio de Janeiro, ninguém ficou ferido, mas os pacientes tiveram que ser removidos às pressas. Pensando neste caso, o CQCS entrevistou o professor e colunista Sérgio Ricardo, que comentou sobre qual o tipo de seguro valeria nessa situação. Confira:

De acordo com o colunista, em geral, esses empreendimentos podem ser cobertos em relação ao patrimônio, pelas apólices tradicionais de seguros empresariais, como também é importante a cobertura de Responsabilidade Civil do próprio hospital em relação a danos materiais e corporais causados a terceiros por culpa do próprio hospital. “Além da possibilidade de danos patrimoniais em caso de incêndio, podem ocorrer danos corporais às pessoas envolvidas (ferimentos e até morte) ”.

Sergio Ricardo comentou que a gestão de riscos em hospitais e clínicas são super importantes, pois além de estar lidando com o patrimônio, também lida com os pacientes e acompanhantes, assim como funcionários e prestadores de serviços. “É fundamental que os gestores desses empreendimentos possam gerir os seus riscos e a partir daí poder contratar seguros para transferir parte desses riscos ao mercado de seguros”.

O colunista pontuou que geradores (motivo suposto pelo incêndio), precisam ter o máximo de cuidado de operação e manutenção, para que não ocorram acidentes de explosão ou incêndio. “O seguro patrimonial tem a função de repor rapidamente a o patrimônio do Hospital, para que ele possa voltar a funcionar o mais rápido possível”.

Fonte: CQCS I Luana Neiva