GRIPE – ALERTA EPIDEMIOLÓGICO CEVS/SES/RS – CIRCULAÇÃO DO VIRUS INFLUENZA FORA DA SAZONALIDADE (16.12.21)

Compartilhar nas redes sociais

A gripe é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade e distribuição global. Existem três tipos: A, B e C, o tipo A está sempre envolvido nas epidemias por sua alta capacidade de variação antigênica (mutação). O vírus influenza A se subdivide em subtipos de acordo com as proteínas de superfície: Hemaglutinina (H) e Neuraminidase (N).

A transmissão direta (pessoa a pessoa) é a mais comum e ocorre por meio de gotículas do indivíduo contaminado ao falar, espirrar ou tossir. A incubação da doença é de 1 a 4 dias e a transmissibilidade ocorre, principalmente, entre as primeiras 24 até 72 horas da doença. Imunodeprimidos e crianças podem excretar o vírus por semanas ou meses.
As manifestações clínicas são de início abrupto com febre, tosse seca, dor de garganta, mialgia, cefaleia e prostração, caracterizando um quadro de Síndrome Gripal (SG) que pode ser causada por diferentes agentes etiológicos (parainfluenza, adenovírus, vírus sincicial respiratório, entre outros).

Informações sobre o tratamento
O antiviral Oseltamivir, de nome comercial Tamiflu, está disponível em todo o Estado, gratuitamente, e o seu uso no início do aparecimento dos primeiros sintomas da gripe é fundamental para impedir o agravamento dos casos. Atenção aos sintomas: febre, dor de garganta e dores nas articulações, musculares ou de cabeça. Ao apresentar esses sinais, procure atendimento.

O tratamento pode ser prescrito tanto por médicos do SUS como particulares, com a dispensação, sem custos, garantida pela rede pública.

Para retirar o antiviral, o paciente deve apresentar somente prescrição médica. Não há mais a necessidade do Receituário de Controle Especial e do Formulário de Dispensação, visando facilitar o acesso da população ao medicamento.

Medidas de prevenção e controle
Uma ação fundamental para diminuir a circulação dos vírus da gripe é a adoção de hábitos simples. Confira:
• Higienizar as mãos com frequência;
• Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
• Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
• Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
• Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
• Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
• Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social;
• Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;
• Evitar visitas a hospitais;
• Ventilar os ambientes.
Fonte: Secretaria da Saúde RS