Especialista ensina dicas para preservar a saúde mental durante o isolamento

Manter a cabeça ativa é fundamental para encarar o período sem contato social

Com a chegada do novo coronavírus ao país, a rotina da maioria das pessoas foi alterada. O trabalho foi suspenso ou passou a ser feito em casa. As aulas, quando acontecem, são virtuais, e o isolamento social é a principal recomendação para conter a pandemia. Neste cenário em que todos estão confinados, é importante cuidar não só da saúde física – seguindo as recomendações de distanciamento e higiene –, mas também da saúde mental.

Mestre em psicologia, filósofo e mentor de performance, Otávio Grossi afirma que, antes de tudo, é importante entender que o isolamento não significa solidão. “O isolamento é uma condição de proteção para a população e é o que vai tirar a gente dessa”, ressalta.

Uma das dicas do especialista para conter a sensação de que estamos sozinhos é a manutenção de uma rotina, mesmo que limitada ao ambiente de casa. “Devem ser criados momentos para as coisas: um momento para si, o horário para acordar, um para praticar atividades físicas que possam ser feitas sozinho”, exemplifica.

É importante que o contato com outras pessoas também seja mantido – claro, respeitando as regras de distanciamento. “Ligue para seus amigos, para sua família, mantenha-se conectado”, orienta Grossi.

Atividade
Manter-se produtivo também é uma boa pedida para preservar a saúde mental. Arrumar aquela gaveta de bagunças, consertar algo que esteja estragado em casa, escrever, estudar. São inúmeras as opções de atividades que podem ser feitas sem desobedecer às orientações de distanciamento social.

Além disso, é essencial evitar o excesso de informações. “Não existe uma receita pronta, mas é importante ter cuidado com o pensamento repetitivo, a superinformação. Vá direto a fontes verdadeiras, tente falar de outros assuntos, para que não sejam propagados o medo e os boatos”, aconselha.

A leitura é outra recomendação. “O livro é um ótimo companheiro. Apesar de a população brasileira estar muito distante do hábito da leitura, esse pode ser um caminho interessante. Temos vários aplicativos de escuta de livros, que podem ser uma opção para minimizar a sensação de solidão. Interaja do ponto de vista mental. Se você está lendo ou escrevendo, você diminui a sensação de que está sozinho”, recomenda.
Fonte: O Tempo – Jéssica Malta