Seguro de R$ 24 milhões, contratado para cobrir efeitos de vacinas, é alvo de CPI

Reportagem veiculada pelo Jornal da Record no dia 23/08, informa que os integrantes da “CPI da Pandemia” no Senado avaliam a contratação, pelo Ministério da Saúde, um seguro internacional de R$ 24 milhões, sem licitação, para cobrir possíveis efeitos colaterais das vacinas das farmacêuticas Janssen e Pfizer. Os documentos chegaram à CPI neste final de semana.

O contrato foi questionado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que pediu explicações do Ministério da Saúde para a contratação de um seguro milionário sem que a proposta estivesse devidamente traduzida.

Outro ponto que chamou a atenção do TCU foi o fato de os seguros válidos para as vacinas da Janssen e da Pfizer terem valores diferentes por dose.

De acordo com a reportagem, tanto a Pfizer quanto a Janssen exigiram que constasse nos respectivos contratos de venda das vacinas que caberia ao governo brasileiro se responsabilizar pelos eventuais efeitos da vacinação na população.

O contrato foi assinado pelo então diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias.

Fonte: CQCS