Seguradoras sudanesas fazem doação ao exército

As seguradoras e o organismo de Supervisão de Seguros do Sudão fizeram doação às forças armadas do país num montante de 100 mil milhões de libras sudanesas (cerca de 1,49 milhões de euros).

Mohammad Sati, representante do setor de seguros do Sudão, revelou que funcionários de todo o país doaram cinco dias de salário para o exército. Na cerimónia que anunciou a iniciativa do setor privado de apoio aos militares estiveram presentes o tenente-general Abdel Fattah Al-Burhan, presidente do Conselho de Soberania e comandante-chefe das Forças Armadas, bem como o primeiro-ministro, Abdalla Hamdok.

Sati destacou o papel proeminente que as forças armadas continuam a desempenhar na defesa do Sudão e elogiou a missão das forças armadas nas fronteiras orientais e o envio de tropas para proteger e recuperar terras reclamadas pelo Sudão.

No mesmo evento, Taha Al-Tayeb Ahmed, presidente da União de Bancos Sudaneses, defendeu o estabelecimento de um novo modelo de desenvolvimento para as regiões fronteiriças através de parcerias entre os setores público e privado, adiantando que o setor bancário participará no financiamento da iniciativa.

Al-Tayeb também anunciou que 49 bancos de todo o país têm amealhado doações numa conta aberta pela associação bancária em moeda local para a mesma iniciativa e que os bancos vão iniciar a comercialização da proposta junto dos clientes, em moeda local e estrangeira.

Segundo fontes externas, o mercado sudanês conta atualmente menos de 20 empresas a operar no mercado de seguros, incluindo uma companhia de resseguros, maioritariamente detida pelo Estado. Na generalidade, embora se aponte uma progressiva islamização do setor, as operadoras sudanesas são privadas.

Quatro companhias operam seguros gerais e de vida, nomeadamente a General Insurance Company, Sudanese Insurance and Reinsurance Company, Blue Nile Insurance Company e a Islamic Insurance Company (Takaful).

Nota ainda para a Modern Islamic Real Estate Insurance Company, inteiramente de capitais públicos e que é especializada em seguros Vida para os mutuários de bancos imobiliários.

Fonte: ECO Economia Online