O que a Porto Seguro aprendeu quando decidiu unir inovação e responsabilidade social

Bruno Garfinkel, presidente do Conselho de Administração da Porto Seguro, conta como o programa Meu Porto Seguro abriu portas para a empresa.

Muito se fala sobre a necessidade da inovação no mundo corporativo, mas muitos executivos não sabem por onde começar.

A resposta para esse problema, de acordo com Bruno Garfinkel, presidente do Conselho de Administração do Grupo Porto Seguro, é bem simples: “A inovação é a solução criativa para um problema real. ” Ele participou do evento Liga Open Innovation Summit, realizado nesta terça-feira (22/09).

Durante sua apresentação, Garfinkel falou sobre o Meu Porto Seguro, projeto que visa oferecer mais de 10 mil vagas de emprego e capacitação a pessoas em busca de recolocação no mercado de trabalho.

De acordo com o executivo, a ideia veio da cultura corporativa da empresa: “Queríamos, como o nome do grupo já sugere, ser um porto seguro na vida das pessoas. ”

Meu Porto Seguro

Garfinkel conta que a empresa sentia vontade de tomar uma ação frente à crise. A solução imediata era simples: doar dinheiro. Entretanto, até mesmo nisso existia complexidade.

O executivo conta que a Porto Seguro se preocupou em como esse dinheiro seria aplicado e, acima de tudo, se ele estava tendo os impactos que a organização desejava na sociedade. Em pouco tempo, ficou claro que a doação não era a abordagem mais adequada naquele momento.

O esboço do que virou o programa Meu Porto Seguro surgiu em seguida. Garfinkel criou um grupo de trabalho remoto que debateu o projeto durante dois meses. Em cima da ideia inicial, todos possíveis problemas e detalhes técnicos precisaram ser acertados.

O resultado foi uma universidade online, que disponibiliza mais de 60 cursos voltados aos produtos da Porto Seguro. “A recepção foi ótima. Esperávamos que 10 mil pessoas participassem do programa, mas chegamos à marca de 700 mil inscritos. ” Para ter acesso ao conteúdo, os candidatos precisam passar por um processo seletivo.

Mesmo com o sucesso inicial, o grupo de trabalho não parou. Garfinkel conta que, como todo projeto, é necessário manter seu plano de ação em constante atualização.

No caso do Meu Porto Seguro, isso foi feito por meio do contato com associações de corretores e outros expoentes do mercado. Essas figuras teriam tido um papel fundamental, pois permitiram que a empresa ouvisse os pedidos e reclamações do seu público, melhorando a forma que o conteúdo é transmitido.

Benefícios
Além da responsabilidade social, Garfinkel conta que iniciativas do tipo também apresentam benefícios para o modelo de negócios das empresas. O Meu Porto Seguro, por exemplo, se mostrou como uma oportunidade de informar o público a respeito dos mais de 45 produtos disponibilizados pela empresa.

“Geralmente somos conhecidos apenas por alguns produtos, como o seguro de veículos. Com o Meu Porto Seguro, de um problema social, que era a falta de emprego na pandemia, nós criamos uma oportunidade de divulgar nossas soluções. ”

O sucesso também abriu portas para a Porto Seguro ampliar seu mercado, diz Garfinkel. Hoje, a empresa estuda a adoção de modelos de remuneração variada para seus colaboradores, como acontece em empresas como Natura e Avon.

FONTE: Época Negócios