Sompo alcança R$ 1,3 bi de prêmios emitidos em Seguros Corporativos

Montante representa um crescimento de 4% na área quando comparado ao mesmo período no ano passado.

 A Sompo Seguros S.A alcançou um crescimento de 4% na área de Seguros Corporativos entre janeiro e maio de 2020 em relação ao mesmo período de 2019. O resultado se deve às estratégias desenvolvidas para atender aos corretores de seguros e segurados no período de pandemia. “A área exige um alto grau de especialização e a competência da nossa equipe foi reconhecida pelo mercado, que percebeu as diversas facilidades criadas para contribuir que os segurados pudessem contar os serviços nesse período de pandemia”, afirma Adailton Dias, diretor executivo de Produtos e Resseguros da companhia.

Dessa forma, a seguradora atingiu R$ 353,9 milhões em prêmio emitidos nos primeiros cinco meses deste ano, frente aos R$ 340,2 milhões de igual período em 2019. Com isso, a empresa acumula R$ 1,3 bilhão em prêmios emitidos na carteira nos doze meses recentes. “Essa é uma área estratégica e a organização está na liderança em diversos ramos que fazem parte dela. Além disso, nosso planejamento também visou uma forte atuação da equipe comercial para fomentar oportunidades de negócios para nossos parceiros. Um exemplo disso é que, só no mês de junho, cerca de 38% das oportunidades de negócios que trabalhamos no momento são de Seguros Corporativos”, diz Fernando Grossi, diretor executivo Comercial da companhia.

O trabalho personalizado junto aos corretores para tratar as demandas que atendam aos segurados nesse momento e os procedimentos adotados para dar condições para que as análises de subscrição e cotações de seguros novos e renovações pudessem acontecer foram fundamentais. Dessa forma, a dinâmica de negócios ficou ajustada ao panorama econômico atual e respeitando o período de isolamento social.

Um exemplo disso é a nova estrutura organizacional, por meio da qual foi criada a diretoria de Seguros Corporativos, sob comando de João Carlos França de Mendonça. Sob responsabilidade do executivo estão produtos como os Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Engenharia, Riscos de Petróleo, Responsabilidade Civil Geral, E&O, D&O, Garantia, Fiança Locatícia, Empresarial/Lucros Cessantes (com limite máximo de garantia acima de R$ 50 milhões e negócios com resseguro facultativo), RD Compreensivo de Veículos e Agrícola.

“Algumas dessas carteiras tiveram excelente desempenho. Um exemplo foi a área de Riscos Nomeados e Operacionais, que é um ramo em que a empresa já é estabelecida há anos e na qual atingimos 27,3% de crescimento. Mais surpreendente ainda foi a performance da área de D&O e E&O, que são carteiras com menos de dois anos de existência e que, somadas, atingiram 65% de crescimento nesses cinco primeiros meses de 2020”, diz Mendonça. “O conhecimento dos setores econômicos que atendemos fez toda a diferença para que nosso corpo técnico multidisciplinar pudesse antever tendências e ajustar as condições para atender tanto aos segurados da carteira quanto aos novos segurados que estão chegando”, ressalta o executivo.

Já a área de Seguro de Transporte, segmento em que a companhia domina cerca de 20% de market share, também adotou uma série de medidas. Além das opções de prorrogação automática tanto de apólices semestrais quanto anuais, a equipe de gerenciamento de riscos da área efetuou um mapeamento dos riscos em potencial aos quais os segurados poderiam estar expostos nesse período e começou o trabalho de ajustes, consultorias e recomendações personalizadas. “O segmento logístico é muito sensível e sente de imediato os efeitos de uma crise. As medidas estabelecidas foram uma maneira de propiciar tranquilidade e segurança para que os clientes pudessem seguir com suas operações com condições adequadas de cobertura e com os riscos minimizados”, afirma Adriano Yonamine, diretor de Seguros de Transporte e Auto Frota da seguradora.

Fonte: Revista Apólice