Segurança é Obrigatória

Desde janeiro, automóveis só podem sair de fábrica munidos de cinto de três pontos, encosto de cabeça e Isofix. Saiba como usar corretamente esses dispositivos.

Acabou o prazo. O que antes era só uma orientação com prazo de adaptação para as montadoras, agora é obrigatório e oficial. Publicada há cinco anos, a Resolução 518/15 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) entrou em vigor em janeiro deste ano com a seguinte determinação: todos os veículos saídos de fábrica precisam contar com cinto de três pontos e encosto de cabeça para todos os ocupantes do banco traseiro (muitos modelos não ofereciam esse item no assento do meio), além de Isofix, o sistema de fixação para cadeirinhas infantis.

Mas, para que esta obrigatoriedade se converta efetivamente em maior segurança para você, é fundamental dar uso correto aos dispositivos. Procure sempre ler o manual do proprietário do automóvel e, para facilitar, siga estas dicas do CESVI:

CINTO DE TRÊS PONTOS

A parte subabdominal da cinta deve ficar em posição baixa, junto aos quadris, tocando as coxas. A parte diagonal da cinta deve estar sobre os ombros, porém não deve ficar muito solta. Também não deixe o cinto posicionado na região do pescoço, pois, além do desconforto, essa posição pode fazer com que a pessoa fique sujeita a lesões. Os cintos não devem ser utilizados dobrados nem enrolados.

ENCOSTO DE CABEÇA

O apoio deve ficar o mais próximo possível da cabeça, tanto em altura quanto em distância. Ajuste o apoio de cabeça de forma que o dispositivo fique com sua parte superior na mesma altura que a parte superior da cabeça do ocupante. Para facilitar o ajuste, olhe pelo espelho retrovisor interno. Antes de sair com o veículo, verifique se todos os apoios de cabeça estão devidamente ajustados.

ISOFIX

Verifique se não há objetos estranhos em volta da ancoragem, impedindo o travamento correto, incluindo presilhas e cinto de segurança. Não utilize o dispositivo de retenção para crianças no banco dianteiro quando ele tiver airbag – a criança pode ser gravemente ferida se o airbag inflar. Se for oferecida a opção de desativar o airbag, desative-o quando utilizar o dispositivo de retenção.

Fonte: Cesvi Brasil