Nossa Seguros revela a aposta no crescimento

A Nossa Seguros, uma companhia implantada no mercado nacional há 14 anos, que durante este mês de novembro viu substituído o presidente da Comissão Executiva, anunciou, ontem, que vai acentuar a estratégia de crescimento e de proximidade com o mercado, “mantendo-se entre as maiores e mais robustas do país”.

Uma nota de imprensa da Nossa Seguros distribuída às redações para assinalar a evolução recente, caracterizada com a indicação do presidente da Comissão Executiva Carlos Duarte para a liderança da seguradora estatal ENSA e a sua substituição por Alexandre Carreira, lembra que, até dezembro, a companhia foi uma das maiores de Angola.

A Nossa Seguros, declara o documento, registou dos maiores índices de crescimento nos últimos exercícios, em termos de resultado líquido e carteira de produtos e serviços, dispondo de uma solidez financeira que lhe permite encarar de forma positiva o futuro.

O resultado líquido de 2018, depois de impostos, foi superior a dois mil milhões de kwanzas, enquanto os prémios brutos emitidos registaram um crescimento de 22 por cento.

Alexandre Carreira afirmou, citado na nota, que “a Nossa Seguros vai dar continuidade à estratégia de crescimento que tem norteado os destinos da companhia, por forma a reforçar a sua presença no sector segurador angolano, nos ramos Vida, Não Vida e Fundo de Pensões. ”

A solidez financeira da companhia e a relação de confiança com todos os seus clientes, parceiros, trabalhadores e acionistas continuam a ser dois dos pilares da atuação da administração.

“Queremos trabalhar para continuarmos a ser uma das principais seguradoras de Angola, com o foco no cliente, com uma oferta de produtos e distribuição ajustadas ao mercado e mantendo uma presença geográfica adequada”, sublinhou o responsável.

A Nossa Seguros é uma instituição financeira não bancária sujeita à supervisão da Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (Arseg), entidade reguladora da atividade das seguradoras e responsável pela criação das normas que orientam a sua conduta de mercado, as garantias financeiras e os critérios de solvência.

Fonte: Jornal de Angola