5 dicas para proteger sua saúde mental nas redes sociais

Como não abandonar os serviços e recursos tecnológicos das redes sociais sem afetar a saúde mental e manter uma rotina saudável.

Mais de um terço dos adultos nos Estados Unidos considera que as redes sociais prejudicam a saúde mental, de acordo com nova pesquisa da Associação de Psiquiatras Americana. Somente 5% consideraram as redes positivas para a saúde mental e outros 45% disseram acreditar que há efeitos positivos e negativos.

A depressão já é considerada o mal do século. No Brasil, a doença registra o maior número de casos no país. Já ouviu falar de Burnout? A síndrome que se tornou comum nos dias de hoje é sinônimo de esgotamento físico e mental.

O problema tem atingido tantas pessoas que em maio deste ano foi incluído na lista de doenças profissionais pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A pesquisa da Associação de Psiquiatras dos Estados Unidos estudou os perigos das interações online e observou os efeitos do mau uso das redes nas vidas de meus pacientes. A partir do estudo, cinco sugestões foram dadas para reduzir efeitos negativos das redes sociais na saúde mental. Confira as boas práticas.

Limite quando e onde utilizar os serviços – As redes sociais podem interromper e interferir com a comunicação pessoalmente. Você vai se conectar melhor com as pessoas na sua vida se tiver momentos do dia em que desliga as notificações ou mesmo deixa o celular em modo avião. Também evite usar o computador ou o celular no quarto.

Faça períodos de “detox” – Experimente passar alguns dias sem entrar nas redes. Reduzir o tempo de uso para apenas dez minutos por dia durante três semanas resulta em menor sentimento de solidão e depressão. Experimente declarar publicamente que você decidiu dar um tempo nas redes e delete os aplicativos do celular.

Preste atenção no que faz e como se sente – Experimente usar as plataformas em diferentes horas do dia e por tempos variados e observe como se sente. Sempre que possível, busque interações com pessoas que você conhece offline, fora das redes.

Seja consciente – Você pega o celular, liga a internet e entra no Twitter logo que acorda? Seja honesto e se pergunte: por que estou fazendo isso agora?

Faça uma limpeza – É provável que você tenha acumulado uma lista gigante de amigos online e organizações. Há conteúdos que ainda interessam a você, mas outros que podem ter se tornado chatos e desnecessários. Um estudo recente mostrou que informações sobre a vida de amigos no Facebook afeta as pessoas mais negativamente do que outros conteúdos na rede.

Não deixe que as redes sociais substituam a vida real –  Não há nada errado em usar o Facebook, o Instagram ou o Twitter para acompanhar o dia a dia do seu artista preferido ou da sua família, desde que você não negligencie as visitas com o passar do tempo.

+ SOBRE BURNOUT

Millennials: 95% dizem sofrer com Burnout

//www.consumidormoderno.com.br/2019/07/11/millennials-burnout-estudo/

Fonte: Consumidor Moderno – Por: Jade Gonçalves Castilho Leite