Associação de Proteção Veicular não oferece garantia ao consumidor

Na edição desta semana do Pare e Pense, Gustavo Doria, fundador do CQCS, pontuou a respeito da cooperativa de proteção veicular que se envolveu com traficantes, no Rio de Janeiro. A partir disso, o executivo explicou quais os perigos de contratar um serviço que não é regulamentado por órgão algum.

O problema em contratar um serviço que está à margem da lei é a possibilidade de estar lidando com pessoas que possuem uma índole duvidosa, como o caso que aconteceu no Rio de Janeiro, por isso Doria pontua: “Se você atua com numa atividade que precisa de regulamentação, como é o seguro, essa necessidade advém da garantia para que a sociedade, o cidadão, possa ver os benefícios do que ele aderiu”.

Confira o vídeo na íntegra: //youtu.be/5c4XIYjXoUw

FONTE: CQCS | Carla Boaventura