Seguro evitaria prejuízo histórico para a população brasileira

O incêndio no Museu Nacional, iniciado na noite do último domingo, 02, causou um prejuízo histórico para o mundo. O local abrigava um acervo de mais de 20 milhões de ítens, entre eles, o fóssil de Luzia, o espécime mais antigo das Américas, e livros raros.

A partir do acontecimento, surge uma questão: caso o museu tivesse Seguro, o incêndio haveria acontecido? Foi justamente esse questionamento levantado no Pare e Pense, da TV CQCS, dessa semana.

De acordo com Gustavo Doria, diretor executivo do CQCS, a resposta para essa pergunta é clara: não. “Se tivesse Seguro, teria gerenciamento de riscos, e se tivesse gerenciamento de riscos, haveria cuidado”, o que leva a crer que, mais uma vez, o seguro poderia resolver um problema que impactou a história do país.

O Corretor precisa estar atento a essas oportunidades, segundo Doria, isso porque reportagens informaram que o local não possuía seguro. É preciso responsabilizar alguém para que a história não se repita. Corretor, pare e pense, essa responsabilidade também é sua.

Confira o vídeo na íntegra: //youtu.be/1cbV8_tyAnI

FONTE: CQCS | Carla Boaventura