Presidente da CNseg fala sobre o combate ao mercado marginal de seguros

Um dos assuntos que mais foi debatido em 2017 no mercado de seguros foi o combate ao mercado marginal. Para Marcio Coriolano, presidente da CNseg, o setor de seguros chama atenção. “Um setor como o nosso que cresce a taxas altas independente do ciclo econômico desperta cobiça, todo mundo quer participar”.

Para ele, o bom desempenho do setor é o que despertou o crescimento das associações e cooperativas. “Aí está nossa diferença com essas associações: todo mundo tem direito a empreender desde que você respeite as regras de mercado, tem muita gente vendendo seguro sem ser seguradora”, alertou.

Ele disse que de maneira geral não é contra a atuação de cooperativas ou associações. “Não somos contra as cooperativas ou associações que queiram oferecer suas proteções contra riscos desde que se limitem àquele grupo que tem mútua”, disse ele.

O dirigente lembrou que hoje há empresas desse tipo vendendo auxílio funeral. “Começou com automóvel, foi para seguros para caminhoneiros. Não se pode admitir que isso aconteça e não é pela concorrência, mas pela proteção da sociedade; não pode vir um aventureiro e querer participar”, alertou.

Para ele, o combate ao mercado marginal é garantir ao consumidor que o produto seja seguro. “Existem algumas vozes que dizem que as associações preenchem o espaço declinado pelas seguradoras, o argumento não procede porque quem oferece auxílio funeral fazendo seguro de vida em grupo não está ocupando um espaço descoberto”, analisou. E para finalizar questionou: “Se as grandes seguradoras não aceitam riscos em algumas regiões do país, as associações que não são reguladas vão ter sucesso? ” Confira: //youtu.be/KzObV_muDYg

FONTE: CQCS l Sueli Santos