Para garantir proteção, motoristas da Uber apostam em seguro diferenciado

Com a proposta de mobilidade com preços mais acessíveis que os cobrados pelos táxis e com mais conforto que os ônibus urbanos, a Uber chegou a Maceió em 2016 e conquistou inúmeros usuários que garantem gostar da empresa por causa da facilidade que o aplicativo oferece.

Entretanto, mesmo com os benefícios para os passageiros e motoristas que estavam desempregados ou precisando ganhar uma grana extra, existe uma prioridade que é essencial tanto para o passageiro quanto para o motorista.

A famosa segurança é a melhor amiga do condutor e usuário do aplicativo. Ser motorista da Uber é lidar, diariamente, com inúmeras questões: a violência, o perigo de furto, roubo, alagamentos ou até mesmo, acidentes.

O que muita gente não sabe é que a Uber oferece uma cobertura para os passageiros e motoristas, mas só em casos de despesas médicas ou situação de invalidez e óbito. Mas, e o carro do profissional da Uber? Será que se outro veículo colidir com ele, o condutor será coberto pela empresa? Fica o questionamento: até que ponto o motorista está seguro?

O que a empresa oferece?

Em contato com a assessoria de comunicação da Uber, a reportagem do Cada Minuto foi informada que há uma cobertura tanto para o passageiro quanto para o condutor do veículo.

De acordo com a assessoria, caso o passageiro esteja em uma viagem, ele está coberto pelo seguro da empresa. O seguro cobre despesas médicas de até R$ 5.000,00 por ocupante do veículo, e oferece cobertura de R$ 100.000,00 por pessoa em situação de invalidez permanente total/parcial ou em situações onde há óbito. O seguro passa a valer a partir do momento em que você aceita a viagem, até o momento em que chegar ao destino do usuário.

O meu automóvel está seguro?

Mesmo com o chamado “seguro de vida” da Uber, há riscos para os veículos. Afinal, o carro do motorista é o meio de “sobrevivência” do condutor e também precisa estar seguro.

Em contato com o corretor e diretor do Sindicato dos Corretores de Seguros de Alagoas (Sincor/AL), Ailton Júnior, ele informou que o seguro que a empresa Uber oferece se chama de APP – Acidentes Pessoais para Passageiros -, mas que não é o bastante.

Para Ailton, a importância de o motorista fazer um seguro é a proteção. Segundo ele, o carro é o “ganha pão” e o bem que o condutor tem. “Ele precisa ficar protegido, a partir do momento que ele vira Uber, o risco triplica porque o carro que era particular e utilizado apenas para ir ao trabalho e que ficava estacionado passa a ter uma rotatividade maior, afinal, ele deixa de ser passeio para virar um carro que roda o dia inteiro”.

O diretor também ressaltou que devido a isso, o veículo fica vulnerável e a probabilidade de acontecer um acidente é dez vezes maior.

Para Ailton, o condutor deve fazer um seguro automóvel e enfatizou que as seguradoras já possuem seguros específicos para Uber. “O seguro automóvel vai garantir proteção contra: colisão, incêndio, roubo, furto, alagamentos, cobertura de vidros, assistência 24h e danos a terceiros”, informou.

Estou protegido!

A motorista Mayara Luma entrou na Uber desde março deste ano, mas sabia que precisava fazer um seguro para o veículo porque, segundo ela, o aumento da violência a deixa bastante preocupada.

Mayara optou por uma seguradora com um custo menor, porém, é parecido com o tipo de seguro para taxista. Ela disse que paga por mês e informou que as grandes seguradoras são bem mais caras e por questão de necessidade, ela escolheu uma mais barata.

“Quando a gente escolhe ser motorista da Uber, a gente fica vulnerável. O motorista entra em áreas perigosas, às vezes até “proibidas” e por este motivo, optei fazer o seguro já que estou rodando o dia inteiro na rua”, comentou.

Quando perguntado se ela sabia que a Uber oferecia um APP, ela disse que só tomou conhecimento quando leu o regulamento há dois meses – mesmo tendo oito meses na empresa –.

“Alguns colegas comentaram que se fôssemos roubados por clientes teríamos direito a receber a quantia que a gente tinha no carro e o celular, mas quando fui pesquisar, fiquei sabendo que a Uber não cobre seguro de carro, furto, colisão”, destacou.

“Vale a pena fazer o seguro porque você sabe que o seu automóvel pode até sofrer algo, mas você vai estar seguro e vai receber o valor do carro avaliado pelo mercado”, contou.

Um motorista que não quis se identificar disse à reportagem do Cada Minuto que o “seguro de vida” que a Uber oferece não é suficiente. “Tudo bem, estamos correndo riscos de acidentes, mas colocamos dentro do nosso carro, clientes que não conhecemos e podemos ser furtados. Da mesma maneira, que podemos ser roubados”, disse.

De acordo com o motorista, ele precisou acionar o seguro que ele contratou uma vez e garantiu ter sido bem atendido. “Tive um problema com o vidro do meu carro e acionei a seguradora, a situação foi resolvida e por este motivo, não abro mão de pagar o seguro, afinal, a Uber só nos cobre em casos de sinistros extremos, mas parece que o automóvel não faz parte da empresa”.

Para o condutor, seria interessante se a empresa disponibilizasse um seguro automóvel visto que o veículo é o meio de trabalho. “Mas já que isso não acontece, não vou deixar de fazer um seguro que vai garantir menos problemas para mim e até para o meu passageiro”, afirmou.

Seguro da Uber

O corretor da Jaraguá Corretora, Djaildo Almeida, ressaltou que existem alguns pré-requisitos que a própria Uber exige. “O primeiro pré-requisito é referente a danos a terceiros e outra cobertura é para passageiros, essas duas coberturas são exigidas na apólice.

O segundo ponto é referente à questão de perfil, existe uma característica relacionada a seguro. Quem usa o veículo para ir e vir do local de trabalho, como o carro de passeio, em tese o seguro é mais barato”, disse.

O seguro para Uber é considerado mais caro porque deixa de utilizar o carro para passeio. “É preciso que os motoristas informem na hora de fazer o seguro que vai trabalhar assim, muitos omitem e acabam fazendo da forma errada, o que não pode acontecer porque pode ocorrer o risco da companhia não cobrir por omissão do assegurado”, ressaltou.

Sobre o custo do seguro, o corretor disse que depende do perfil do cliente e do carro. “Quando você coloca a informação que utiliza o veículo com aplicativo de passageiros, ele tira a situação de perfil porque ele não tem praticamente perfil. Ele vai informar somente o CPF do condutor, se há mais motoristas e a companhia automaticamente já agrava o valor do seguro por ser Uber” explicou.

Fonte: Cada Minuto